sexta-feira, 12 de outubro de 2018

‘Haddad seria um governo Dilma 2, piorado’ diz Kátia Abreu. A esquerda está dividida!


Candidata a vice na chapa do presidenciável do PDT, Ciro Gomes , a senadora Kátia Abreu (PDT-TO) decidiu não seguir a decisão do partido de apoiar Fernando Haddad (PT) no segundo turno.
Para Kátia, as urnas do último domingo mostraram que o PT “está ferido de morte”, sem “projeto para o país”. Com seu maior líder preso e sua ex-mandatária ainda sob o frescor do impeachment, diz a senadora, o petismo decidiu participar da eleição por “medo de perder a hegemonia”. “Se o projeto de Brasil fosse mais importante, eles tinham apoiado outra pessoa. Que paixão é essa pela democracia? Tem não. É pelo partido”, diz.
Em entrevista ao jornal o GLOBO, a senadora afirma que Haddad seria, no Palácio do Planalto, um “governo Dilma 2 piorado”, porque, a exemplo da ex-presidente Dilma Rousseff , não teria apoio para governar.
Ela também revela o relato feito pelo deputado federal eleito Túlio Gadelha, durante a reunião da Executiva Nacional do PDT, nesta quarta-feira. De acordo com Kátia, Túlio contou aos pedetistas que teve uma conversa com Haddad, no início da pré-campanha, e perguntou ao petista por que o PT não declarava apoio à candidatura presidencial de Ciro Gomes.
Ainda de acordo com a senadora, Túlio disse ter ouvido de Haddad uma resposta reveladora. “Foi a única coisa até hoje que eu pedi ao Lula. E ele não me atendeu”, teria dito Haddad ao pedetista. 

0 comentários:

Postar um comentário