quinta-feira, 29 de março de 2018

Ministro Barroso Autoriza E PF Prende Pessoas Ligadas A Temer No Inquérito Dos Portos

Polícia Federal prendeu hoje (29) o empresário Antônio Celso Grecco, dono da Rodrimar. A empresa, que atua no Porto de Santos, no litoral de São Paulo, é suspeita de ter sido beneficiada por um decreto de 2017 de Michel Temer em troca de suposto recebimento de propina.
Também foi preso o ex-assessor do presidente Michel Temer, José Yunes. Ele foi assessor especial da Presidência da República até dezembro de 2016.
Denominada Skala, a operação fecha o cerco contra o círculo íntimo do presidente Michel Temer.
A operação foi autorizada pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), relator do inquérito que investiga Temer pelo decreto, que aumentou o prazo dos contratos de concessão de áreas portuárias de 25 anos para 35 anos, podendo ser prorrogado até 70 anos, beneficiando as atuais empresas concessionárias.
Neste momento (08:40h) a PF está na casa do Coronel Lima, amigo do presidente Michel Temer. Acaba de ser confirmada sua prisão temporária.
Também foi confirmada a prisão do ex-ministro da Agricultura, Wagner Rossi (MDB) e seu auxiliar Milton Ortolan.  Em 1999 e 2000 Rossi foi diretor-presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo, estatal administradora do porto de Santos.
A Polícia Federal alega sigilo total da operação e não informou, até este momento, quantos mandados estão sendo cumpridos , o número e nomes dos alvos nesta sexta-feira.
Prisões no Rio
Foi presa na manhã desta quinta-feira (29), no Leblon, na Zona Sul do Rio, uma mulher ligada ao Grupo Libra, que atua no setor de portos e é investigado na Lava Jato. Além dela, outras quatro pessoas foram presas na capital fluminense. A informação é do G1/Rio.
O Grupo Libra foi citado na delação premiada de Lúcio Funaro como uma das empresas beneficiadas na medida provisória dos Portos, editada em 2013.
Mais informações a qualquer momento

0 comentários:

Postar um comentário