segunda-feira, 19 de maio de 2014

Jovens são presos com droga 'ice' no Sul de Minas

Quatro pessoas foram detidas e dois adolescentes apreendidos suspeitos de traficar drogas sintéticas durante uma excursão que iria de Varginha (MG) a Itu (SP), para uma festa rave neste sábado (17). De acordo com a Polícia Civil, os suspeitos foram detidos após denúncia anônima. Eles estavam em duas vans que iriam para o evento e na mochila de um jovem de 22 anos foram apreendidos 10 pacotes plásticos com metanfetamina – droga considerada mais perigosa que o crack – conhecida como ice ou cristal, bastante consumida em festas rave. Ele foi preso e levado para a delegacia da cidade.
Segundo a polícia, as vans foram paradas na Avenida do Contorno, em Varginha. Em uma delas, foram encontrados 324 comprimidos de ecstasy, 95 pontos de LSD e 6 buchas de maconha. Dois jovens e o organizador da excursão foram presos.
Além dos adultos detidos, dois adolescentes de 17 anos foram apreendidos. O condutor da van declarou que não sabia que os jovens transportavam drogas e foi notificado apenas como testemunha do caso.
Já no outro veículo apenas uma pequena porção de maconha foi encontrada com um rapaz de 22 anos. Ele foi levado para a delegacia, ouvido e liberado.
Mais de 300 comprimidos de ecstasy são apreendidos em Varginha, MG (Foto: Polícia Civil)Mais de 300 comprimidos de ecstasy são apreendidos em Varginha, MG (Foto: Polícia Civil)


DROGA CRYSTAL OU ICE - EFEITOS E MALEFÍCIOS


 Crystal é uma droga antiga, com grande poder de destruição, mas pouco conhecida no Brasil. Trata-se de um estimulante feito de uma anfetamina superpoderosa, contendo na sua fabricação, substâncias químicas industriais e produtos de limpeza. Quando misturada a outras substâncias, que a torna mais barata, é chamada de manivela.  

É conhecida por gelo, vidro, cristina, tina, crank, ice, speed e cocaína do operário. Também é conhecida como “crank” ou “met”, por ser uma metanfetamina; é uma substância produzida facilmente em laboratórios clandestinos que não requerem muito dinheiro ou avançadas tecnologias para sua elaboração, e por isso ela é feita em garagens e casas desocupadas ou destroçadas. A “crystal” tornou-se uma substância de abuso entre adolescentes e adultos jovens no sudoeste dos Estados Unidos. As manifestações clínicas mais aparentes pelo uso desse psicotrópico, além das relatadas pelo abuso de anfetaminas, são as seguintes: irritação, nervosismo, variações do estado de humor, depressão, medo, medo injustificado, suspeitas, perda de peso e transtornos do sono.

A droga na forma de cristal pode ser fumada em cachimbos de plásticos, na forma de pó é geralmente cheirada, mas pode ser misturada em água e injetada. Pode ser injetada no ânus por uma seringa sem agulha.

Sabe-se que a anfetamina foi sintetizada em laboratórios pela primeira vez na Alemanha, em 1887. Em 1920 seu efeito psico-estimulante foi reconhecido e seu uso médico farmacêutico foi autorizado pelos EUA. Na segunda Guerra Mundial a anfetamina foi utilizada para dar mais energia e manter os soldados em estado máximo de alerta. Especialistas acreditam que a droga é a mais poderosa que existe no mercado nos dias atuais, um perigo que se alastra como uma praga. É mais barata que a cocaína e dez vezes mais forte, sendo que os efeitos duram até dez horas. É mais viciante que a heroína e mais destrutiva que o crack. 


A droga passa pelo sistema nervoso central, o coração bate mais forte, a pressão sanguínea aumenta. Provoca sentimento de autoconfiança, as pupilas se dilatam, a respiração fica ofegante, e o usuário fica com a fala atropelada, entra num estado de euforia, o corpo libera grande quantidade de energia. Ao término do efeito, o usuário sente depressão, inquietação, alucinações, nervosismo e paranóia, podendo levar ao suicídio. É quase impossível evitar a próxima dose.

A sensação de euforia e o aumento do desejo sexual, produzidos pelas doses de dopamina liberadas no cérebro, estimulada pela metanfetamina, dão lugar a pânico, alucinações, agressividade, convulsões, falta de apetite, risco de derrame, colapso cardiovascular, corrosão de dentes e gengivas.

A droga está aliada a outro problema grave: o aumento do número de casos de Aids. É uma droga que libera a libido e estimula o usuário a ter inúmeras relações numa mesma noite, e na maioria das vezes, sem nenhum tipo de proteção, sendo que nos Estados Unidos, as maiores vítimas do Crystal são os homossexuais. Quem experimenta o cristal, entra em estado de euforia e hipersexualidade. 



Tem sido comuns os danos causados aos órgãos sexuais pelo excesso de atrito ou exagero no tamanho dos brinquedos sexuais utilizados. Há registro de um estudante universitário que usava cocaína e resolveu fumar o cristal para se masturbar. A excitação foi tamanha e duradoura que só depois de 16 horas, quando o efeito diminuiu, ele percebeu que havia machucado a pele do pênis e estava sangrando. Teve que ser socorrido ao hospital.

A conscientização tem sido a principal arma da polícia americana. Tudo que se sabe sobre a droga, logo é repassado à polícia de várias partes do mundo, para evitar que o cristal chegue a outros países.

Não obstante, há registros de apreensões no Brasil, embora em número pequeno. Em abril do ano passado, a Polícia apreendeu um adolescente que transportava LSD, ecstasy e cristal de Foz do Iguaçu para Belo Horizonte.
A taxa de mortalidade por overdose de cristal nos EUA está elevadíssima. Pelos transtornos e dores que vem causando, a cristal vem sendo chamada de a Maligna.  

0 comentários:

Postar um comentário