terça-feira, 6 de agosto de 2013

ALERTA !!!!!! Casos de Leishmaniose na região.

Atenção pescadores e moradores da zona rural, São 12 casos confirmados de leishmaniose na localidade, segundo o líder comunitário Valtinho, do distrito de Freitas no sul de minas. Um morador de São Lourenço nos procurou e pediu para dar o alerta, depois que ele em um dia de pesca no Rio Verde, em Freitas, foi picado pelo mosquito transmissor e adquiriu a doença. 
O morador de São Lourenço faz tratamento contra a doença há 8 meses. Nos casos de pessoas que não procuram o tratamento, a doença evolui e pode acabar por destruir orgãos internos e externamente destrói principalmente a boca e o nariz. Nos casos mais avançados o doente fica literalmente sem o nariz e lábios. Por isso muito cuidado, leve seu cachorro ao veterinário e fique alerta nas zonas rurais e margens de rio. O distrito de Freitas, que é reduto de pescadores de São Lourenço e região é um foco da doença. 
O morador de São Lourenço que foi picado pelo mosquito transmissor no distrito de Freitas

A leishmaniose é transmitida por insetos hematófagos (que se alimentam de sangue) conhecidos como flebótomos ou flebotomíneos. Os flebótomos medem de 2 a 3 milímetros de comprimento e devido ao seu pequeno tamanho são capazes de atravessar as malhas dos mosquiteiros e telas. Apresentam cor amarelada ou acinzentada e suas asas permanecem abertas quando estão em repouso. Seus nomes variam de acordo com a localidade; os mais comuns são: mosquito palha, tatuquira, birigüi, cangalinha, asa branca, asa dura e palhinha. O mosquito palha ou asa branca é mais encontrado em lugares úmidos, escuros, onde existem muitas plantas.
Getty ImagesDoença é transmitida por mosquitos
As fontes de infecção das leishmanioses são, principalmente, os animais silvestres ( Raposa do campo, cachorro do mato, capivara, tamanduá etc...) e os insetos flebotomíneos que abrigam o parasita em seu tubo digestivo, porém, o hospedeiro também pode ser o cão doméstico.
Na leishmaniose cutânea os animais silvestres que atuam como reservatórios são os roedores silvestres, tamanduás e preguiças. Na leishmaniose visceral a principal fonte de infecção é a raposa do campo.

O que é Leishmaniose?

Foto ilustrativa da leishmaniose visceral
Doença infecciosa, porém, não contagiosa, causada por parasitas do gênero Leishmania. Os parasitas vivem e se multiplicam no interior das células que fazem parte do sistema de defesa do indivíduo, chamadas macrófagos. Há dois tipos de leishmaniose: leishmaniose tegumentar ou cutânea e a leishmaniose visceral ou calazar. A leishmaniose tegumentar caracteriza-se por feridas na pele que se localizam com maior freqüência nas partes descobertas do corpo. Tardiamente, podem surgir feridas nas mucosas do nariz, da boca e da garganta. Essa forma de leishmaniose é conhecida como "ferida brava". A leishmaniose visceral é uma doença sistêmica, pois, acomete vários órgãos internos, principalmente o fígado, o baço e a medula óssea. Esse tipo de leishmaniose acomete essencialmente crianças de até dez anos; após esta idade se torna menos freqüente. É uma doença de evolução longa, podendo durar alguns meses ou até ultrapassar o período de um ano.

Foto ilustrativa da leishmaniose tegumentar ou cutânea
Foto ilustrativa da evolução da doença
Parasita, vetor e ferida típica da leishmaniose tegumentar

2 comentários:

Unknown disse...

Apenas uma dúvida: A "cidade" de Freitas,citada na matéria acima, não seria "bairro" de Freitas, localizado na divisa entre os Municípios de Soledade e Carmo de Minas, na zona Rural??? Se for onde estão as autoridades competentes e que medidas estão sendo tomadas???

Jornal Polêmica disse...

Na realidade é distrito de Freitas, e nós estamos fazendo esse alerta, para que a população se previna e a doença não continue a se propagar. As autoridades já estão cientes e nós esperamos que providências urgentes sejam tomadas, para o bem de todos.

Postar um comentário